Rodrigues& Aguiart

EXTRA! Pré-candidato a deputado federal apoiado por Aluízio Santos é preso em operação da PF no interior do Maranhão

Até o momento, apolícia identificou um prejuízo de aproximadamente R$ 2,4 milhões com a concessão desses benefícios.

Por Valdivan Alves em 01/06/2022 às 19:09:24
Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

A Polícia Federal cumpriu na manhã desta quarta-feira (01/06), quatro mandados de prisão preventiva e nove de busca e apreensão nos municípios de Codó, no Maranhão, e em Marabá, no Estado do Pará. As prisões e apreensões foram feitas durante a Operação Êxodo, que tem o objetivo de desarticular uma organização criminosa que praticava crimes contra o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

O advogado e pré-candidato a deputado federal Guilherme Oliveira, que foi apresentado como parceiro que faria dobradinha com Aluízio Santos nas cidades de Codó e Timbiras, foi um dos alvos da Operação Êxodo da Delegacia de Polícia Federal de Caxias/MA, com a colaboração da Coordenação-Geral de Inteligência Previdenciária e Trabalhista (CGINT) do Ministério do Trabalho e Previdência,.

Segundo informações da PF, as investigações, tiveram inicio no ano de 2020, levou à identificação de um esquema criminoso integrado por dois servidores do INSS, o advogado parceiro de Aluízio (na política), que é especializado em causas previdenciárias e um intermediário/agenciador.


A Polícia Federal acusa o grupo pela confecção de documentos ideologicamente falsos, esses dados eram inseridos nos sistemas da autarquia previdenciária, objetivando a concessão, principalmente, de benefícios das espécies aposentadoria por idade e pensão por morte, para pessoas que não detinham a qualidade de segurado especial (trabalhador rural).

Nesse período de investigação, a PF verificou que muitos requerentes, embora morassem no Estado do Pará, requereram seus benefícios no Estado do Maranhão, diante das facilidades proporcionadas pelos indiciados para o deferimento de benefícios fraudulentos. Até o momento, a polícia identificou um prejuízo de aproximadamente R$ 2,4 milhões com a concessão desses benefícios.

?

Escritório do Advogado Guilherme Oliveira

Fonte: Fotos: G1/ Blog do Marcos Silva/ Portal Maranhão / CN1 e Blog do Alexandre Pinheiro

Comunicar erro
VP

Comentários

GUIA COMERCIAL